Segunda-feira, 23 de Agosto de 2004

Cartas de Amor

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.


A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos
publicado por In Loko às 06:33
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De 100chave a 8 de Setembro de 2004 às 20:07
...todas as coisas boas, de tão simples parecem rídículas; como este poema. Um clássico contemporâneo que adoro.
Fica bem,
De In loko a 27 de Agosto de 2004 às 05:51
Maria, desta vez meus "caracóis" mentais não apanharam o sentido da tua mensagem então. Lamento perceber agora que mensagem é mais ruim... deixo-te um beijo especial para alentar o ânimo, tá?
De amita a 26 de Agosto de 2004 às 09:47
As cartas de amor, qualquer tipo de amor, são maravilhosas, até um simples bilhetinho o é. Bjinhos amigo Até que enfim consegui entrar nos comentários do sapo! Tvz por ser de manhã ainda, quem sabe!...Bom dia para ti
De Maria Branco a 25 de Agosto de 2004 às 11:35
Ridiculos são todos os que nunca as escreveram, os que nunca sentiram nem se entregaram a este nobre sentimento... Adoro este poema... É simplesmente belissimo!! Beijinhos amigo, e deixa-me que te diga, que estavas enganado... Não é o que pensavas, antes o fosse...
De Andréa Motta a 24 de Agosto de 2004 às 13:12
Todas as vezes em que leio este poema, entro uma incrível mas prazerosa contradição..ao mesmo tempo em que aplaudo pela magnitude da escrita e profundidade das palavras, discordo do teor.. coisas de quem vive em contante mutação.. ;) Beijo com carinho.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds