Segunda-feira, 29 de Novembro de 2004

Digo-te Adeus

Como se houvesse uma tempestade
escurecendo os teus cabelos
ou, se preferes, a minha boca nos teus olhos,
carregada de flor e dos teus dedos;

como se houvesse uma criança cega
aos tropeções dentro de ti,
eu falei em neve, e tu calavas
a voz onde contigo me perdi.

Como se a noite viesse e te levasse,
eu era só fome o que sentia;
digo-te adeus, como se não voltasse
ao país onde o teu corpo principia.

Como se houvesse nuvens sobre nuvens,
a sobre as nuvens mar perfeito
ou, se preferes, a tua boca clara
singrando largamente no meu peito.

Eugénio de Andrade
publicado por In Loko às 05:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 26 de Novembro de 2004

A tua Imagem

Lembro-me da lua peneirenta e "gorda" de luz,
daquele dia em que me assustaste
quando surgiste de repente por trás de mim;
vinhas frenética, trémula, gesticulando para afastar o frio.

Vieste-me aquecer de horas de espera,
gelado, num instante aqueci com teus braços à volta do pescoço,
qual cachecol de braseiro me pareceu...
Teus risos e gritos entoaram sons
que até o mar se calou pra te ouvir!

Destemidos, corremos pela areia como num céu qualquer,
subimos ao nosso rochedo e enfiamo-nos na manta que trouxeste.

Ficamos olhando a lua "gorda" de luz,
apontando as estrelas com nosso olhar reluzente:
como finos raios cristalinos de luz...
e os teus beijos fizeram-me esquecer o frio.

Lambras-te das promessas que jurámos com nossos olhos?
Lembras-te dos planos que fizemos, silenciosamente,
enquanto nossos beijos falavam?
Lembras-te, de mãos dadas, dos nossos corpos coladinhos um ao outro,
dos segredos, em sussurros, que nossos dedos partilhávam?

Nem a voz alta do mar,
nem a luz fria da lua que nos gozava,
nos impediu que nos entregássemos...
Envoltos de gritos de prazer... e revolta também...

Será que te lembras ainda,
de como a luz da lua afouxou (para mim chorou),
quando de manhãzinha nos despedimos?

... e sorrateiramente lá foste pra casa, tal como saíste...

Hoje a lua está "gorda" de luz novamente,
e está frio também...
E eu lembro-me de ti!!!

Carlos Reis
publicado por In Loko às 06:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 23 de Novembro de 2004

Poesia

Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que o não conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...

Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primevera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos!...

Alberto Caeiro
publicado por In Loko às 06:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2004

Poesia

Deixa que seja uma criança
a inclinar a tarde.

Dizem que é verão: não acredites.

O verão tem os pés iluminados pela lua,
o verão tem os nomes todos do mar,
não é o deserto
da cama aberta ao frio,
o prazer imitando a neve.

O que se vê daqui não é a dança
da claridade com o trigo,
o rio onde os cavalos bebem
a tarde a chegar ao fim.

Deixa que seja uma criança....

Eugénio de Andrade
publicado por In Loko às 05:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 13 de Novembro de 2004

Poesia

Lembras-te do sábado passado,
Do passio que demos, devagar,
Entre um saudoso gás amarelado
E as carícias leitosas do luar?

Bem me lembro das altas ruazinhas,
Qu ambos nós percorremos de mãos dadas:
Às janelas palravam as vizinhas,
Tinham lívidas luzes as fachadas.

Nós saíramos próximos ao sol-posto,
Mas seguíamos cheios de demoras;
Não me esqueceu ainda o meu desgosto
Nem o sino rachado que deu horas.

Eu sinto ainda a flor da tua pele,
Tua luva, teu véu, o que tu és!
Não sei que tentação é que te impele
Os pequeninos e cansados pés.

E assim ao meu capricho abandonada,
Errámos por travessas, por vielas,
E passámos por pé duma tapada
E um palácio real com sentinelas.

Mas a noite dormente e esbranquiçada
Em uma esteira lúcida de amor;
Ó jovial Senhora perfumada,
Ó terrível criança! Que esplendor!

Cesário Verde
publicado por In Loko às 06:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 9 de Novembro de 2004

Poesia

Não sei se é amor que tens, ou amor que finges,
O que me dás. Dás-mo. Tanto me basta.

Já que o não sou por tempo,
Seja eu jovem por erro.

Pouco os deuses nos dão, e o pouco é falso.
Porém, se o dão, falso que seja, a dádiva
É verdadeira. Aceito,
Cerro olhos: é bastante.

Que mais quero?

Ricardo Reis
publicado por In Loko às 05:26
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Terça-feira, 2 de Novembro de 2004

Passeando em...

Eram tantas as sombras que nem me atrevi olhá-las,
limitei-me a passar a mão pela mesa em que lanchávamos,
e as lembranças brotaram, e meus olhos humedeceram.

Os ruídos do mar continuam lá,
pareceu-me que em segredo... sussurrando,
falaram-me de ti, do teu perfume, do teu riso.
Passaste por aqui à dias, passeando, de olhar vivo
Indagando...

Olhei para o chão, procurando as marcas do teu passar,
olhei o mar, na esperança de respostas,
de cabeça erguida cheirei o ar, o teu perfume,
e na minha cabeça ele estava lá... tu não...

E as sombras são tantas, continuam lá!
E não me atrevo olhá-las...

Posso ver-te e assustar-me...

Estender as mãos e não tocar-te,
passar os dedos pelo teu cabelo ondulado e molhado,
fazer beicinho para te beijar, e nada sentir,
dar um passo em frente para te abraçar,
E ver-me só!

Só com as sombras de nós,
que continuam lá,
e não me atrevo olhá-las!...

Carlos Reis
publicado por In Loko às 06:02
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds