Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2004

Poesia

POEMA DE NATAL

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados,
Para chorar e fazer chorar,
Para enterrar os nossos mortos -
Por isso temos braços longos para os adeuses,
Mãos para colher o que foi dado,
Dedos para cavar a terra.


Assim será a nossa vida;
Uma tarde sempre a esquecer,
Uma estrela a se apagar na treva,
Um caminho entre dois túmulos -
Por isso precisamos velar,
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.


Não há muito que dizer:
Uma canção sobre um berço,
Um verso, talvez, de amor,
Uma prece por quem se vai -
Mas que essa hora não esqueça
E que por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.

Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre,
Para a participação da poesia,
Para ver a face da morte -
De repente, nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte apenas
Nascemos, imensamente.

Vinícius de Moraes
publicado por In Loko às 06:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 28 de Dezembro de 2004

Poesia

O azul, o azul rouco, o azul
sem cor, luz gémea da sede.
Acerca deste rigor
tenho uma palavra a dizer,

uma sílaba a salvar
desta aridez, asa
ferida, o ohar arrastado
pela pedra

calcinada, húmido
ainda de ter pousado
à sombra de um nome,
o teu:

amor do mundo, amor de nada.

Eugénio de Andrade
publicado por In Loko às 03:48
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sábado, 25 de Dezembro de 2004

Cantos!!!

Não preciso de te ver, meu beijo to dou,
miha mãe!
Foram tantas as vezes que meus lábios tocou tua pele,
e que me encheu de amor,
que é fácil para mim beijar-te ainda que não estejas presente!

Ouço o teu riso, e o calor dos teus braços em mim,
que não preciso lembrá-los mais... teus carinhos continuam bem
vivos em mim!

És e serás sempre a minha Santa,
O meu rochedo, a minha segurança...
Serás sempre a certeza do meu Sol diáriio,
As mãos suaves que afagam minha alma...

Sei que me olhas, que me prezas, que me aconselhas,
sei que estás comigo, e...
assim ainda não te desprendo do meu fado,
e sê minha mãe , a calçada da vida,
os caminhos que inventaste para mim!...

Se fizeres o favor de me ensinar mais ainda,
Minha cabeça, meu corpo te obedecerá,
pelas Luas até em ti me juntar!...

Carlos Reis
publicado por In Loko às 07:02
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 22 de Dezembro de 2004

Mar

Às tardes e às noites quando te olho em cima do paredão,
respiro-te bem fundo, gosto do teu cheiro
mar,
Fazes-me caretas e ruges como leão,
mar não me metes medo, gosto de ti assim.

E gosto da tua fúria embatendo nas rochas abraçando-as,
salpicando meu rosto de água com teu mau feitio,
E eu gozo com isto, não me intimidas
mar.

Adoro ver teu corpo dançarino e vaidoso,
ziguezaguiando, desde lá de longe... ondulado,
qual manto de amante dourado,
que ameaça pegar-me... mas matreiro eu,
só te deixo, aos meus olhos... deliciar-me com teu pranto!

Gosto do teu ar de temor, rebelde,
quando te levantas ameaçador.
Parece tudo engolires sem desdém... arrasador,
mas é assim que te gosto, descontrolado, sem pudor!...

Enfrento-te sempre com sorrisos,
salpicados de água do teu mau feitio,
ficas bravo por não te temer,
e de gostar cheirar o teu cheiro,
mar...

Carlos Reis
publicado por In Loko às 06:23
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 21 de Dezembro de 2004

Boas Festas

Antes que me esqueça quero desejar a toda a gente boa que faz o favor de ser minha amiga e meus amigos, e aos outros que por aqui apareceram BOAS FESTAS DE NATAL E ANO NOVO EXCELENTE!!!

Lembrem-se do olhar da paixão,
de uma ou de outra forma já todos nós estivemos enredados no seu manto.

Aquele OLHO imenso de brilhos e sensações sem fim,
que desencadeia fogos e tempestades,
no mais íntimo do nosso ser!

Nem para todos o fulgor desta altura é igual,
e ainda bem,
que grande chatice seria, todos nós,
vivermos ao mesmo nível e ritmo sensorial.

Peguem nas trouxas de más memórias,
e enviem-nas para o lixo.

Sorriam o mais possível no Novo Ano,
mesmo quando não seja fácil,
há que tentar... sabe bem... é bestial!

Boas Festas para todos vós!!!

Carlos Reis
publicado por In Loko às 06:10
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 18 de Dezembro de 2004

Lua

Não me escrevas mais cartas de amor,
para quando nos encontrarmos,
dissimulares indiferença.
Pensas que é com estes joguinhos
que me prendes mais a ti?...

Enganaste minha querida Lua,
Enganando-me.

Sou-te fiel sempre que te vejo,
só tenho olhos para ti,
nunca perco teu sorriso de vista,
mesmo quando brincas comigo,
escondendo-te por detrás das nuvens.

Fico horas à tua espera
e quando não apareces... desespero!
Angustia-me pensar que fazes de propósito,
eu sei que não... mas é asim que penso.

Um dia mais sem tua face luminosa,
para meus olhos beberem a candura dos teus passos,
a graça das tuas sombras...
é ficar prostrado no muro frio em que te namoro,
no mesmo que há muito tempo,
juramos a nossa paixão!...

Amanhã não demores muito Lua,
sabes como fico, quando não posso beijar tua face!

Carlos Reis
publicado por In Loko às 05:38
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Sábado, 11 de Dezembro de 2004

Poesia

Ó vagas de cabelo esparsas longamente,
Que sois o vasto espelho onde eu me vou mirar,
E tendes o cristal dum lago refulgente
E a rude escuridão dum largo e negro mar;

Cabelos torrenciais daquela que me enleva,
Deixai-me mergulhar as mãos e os braços nus
No báratro febril da vossa grande treva,
Que tem cintilações e meigos céus de luz.

Deixai-me navegar, morosamente, a remos,
Quando ele estiver brando e livre de tufões,
E, ao plácido luar, ó vagas, marulhemos
E enchamos de harmonia as amplas solidões.

E ó mágica mulher, ó minha Inigualável,
Que tens o imenso bem de ter cabelos tais,
E os pisas desdenhosa, altiva, imperturbável,
Entre o rumor banal dos hinos triunfais.

Cesário Verde
publicado por In Loko às 05:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds