Domingo, 26 de Novembro de 2006

Crónica (Falando Convosco)

quercus.jpgCada vez mais me apercebo da indiferença que há entre as pessoas,da desconfiança que se nota à partida de qualquer comunicação,uma simples conversa começa em geral por mentirinhas, depois meias verdades, até que, com alguma relutância lá despem as defesas,e a verdade começa a surgir… com pezinhos de lã!...Ou seja, primeiro que baixem as defesas e abram as portas da sinceridade,é preciso fazerem-se bastantes joguinhos de piruetas e labirínticos de palavras,belas encenações de esquemas para que se ganhe alguma confiança do outrem,e assim, com alguma sorte, lá se pode chegar à essência das questões:falar claro e abertamente… é assim que melhor nos entendemos!...Com isto quero dizer que as pessoas cada vez mais perdem tempo,com o medo, o receio, jogando com rodriguinhos para perceberem se o outroé de confiança. Isto até faz sentido nos dias de hoje em muitas situações,mas generalizar não, ou então, antes que digamos o que queremos, já estamos a ser revistados com olhares, de cima abaixo, de apreciação!...Os avanços tecnológicos e científicos actualmente são muitos e bons,o nível de vida das pessoas se não é o melhor, já foi pior, sempre está melhorzito.O que não está nada bem é o relacionamento entre as pessoas.O que é um grande paradoxo: sobem os conhecimentos, descem os relacionamentose a confiança. Isto é muito incongruente, e que me leva a dizer que:se por um lado sobe o nível de vida em termos técnicos e humanos,desce espantosamente a confiança de honestidade entre os humanóides!...E isto assusta-me porque não entendo!Estamos em simultâneo a percorrer dois caminhos de entendimentoe percepção diferentes.As pessoas, os seres humanos quanto mais conhecimentos técnicos têm,mais se afastam em termos afectivos, compreensão, tolerância e confiança!...Assim, cada vez mais nos individualizamos,E cada vez mais estamos sós!Carlos Reis(Imagem: Bruce Shapiro)
publicado por In Loko às 07:10
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De .*.Magia.*. a 21 de Dezembro de 2006 às 00:07
Grande verdade que descreveste...sem dúvida que as coisas se passam mesmo assim...Penso que se deve também ao grande leque de opções que a vida nos dá...O facto de dizermos contantemente que o tempo nos falta é um bom exemplo disso...há tanta coisa com que "perdemos tempo" hoje em dia que há 15 anos nem existiam...Dantes saías do emprego e não mais eras importunado até voltares ao "local do crime" no outro dia de manhã. Hoje em dia não é assim, há o telemóvel, há o mail...podes estar em contacto com o local de trabalho 24 horas por dia pelos mais diversos meios...ganhas tempo, e perde-lo ao mesmo tempo...Bom...vou parar nas divagações...senão faço-te concorrência ao post...e isso não pode ser! Beijokas doces para ti!
De amita a 5 de Dezembro de 2006 às 12:59
Olá Carlos
É bem verdade o que dizes, mas nem como auto-defesa deveria ser assim.
Um bjinho grande, meu amigo
De isa&luis a 2 de Dezembro de 2006 às 14:49
Olá menino,

Simplesmente verdade o que dizes, cada vez estamos mais sós, e é uma pena.

Desejos de um bom fim de semana com muito amor

Jinhos

Isa
De Secreta a 30 de Novembro de 2006 às 08:50
Olá :)
Passei por cá e deixo os votos de bom feriado e fim de semana.
Beijito.
De ana luar a 29 de Novembro de 2006 às 09:23
Sinceramente acho que as pessoas deixaram de sentir afeição natural uns pelos outros... o tal mundo de afectos perdeu-se nas memórias do tempo.

beijo Carlos
De cleo a 29 de Novembro de 2006 às 05:49
Olá... bom dia!
Estou inteiramente de acordo com tudo o que aqui dizes, neste texto muitíssimo bem escrito e que aborda um tema bem moderno. Acredito que os nossos avós, talvez não tivessem este problema...
Tenho observado as pessoas, os comportamentos delas e é a essa conclusão a que tu chegaste, que eu chego tb! As pessoas estão frias, distantes e sós!É algo que nos põe a pensar e nos preocupa bastante.Por este andar, qualquer dia, somos piores do que os robôts que apareciam nas séries de ficção científica dos anos 80...

Um beijo soprado
De Luis a 28 de Novembro de 2006 às 10:25
Não sei se concordo inteiramente porque isso depende muito do meio onde evoluimos.
O que eu penso é que, como somos comunicativos por natureza, ansiamos por entrar no conhecimento sincero dos outros e por nos abrirmos também. Por outro lado, como as tecnologias devassam cada vez mais a nossa privacidade, é natural, talvez, que reforcemos as nossas máscaras. Afinal o instinto de defesa continua a ser importante enquanto a nossa segurança não estiver integralmente assegurada.
E algum dia estará?
Abraço
Luis
De Secreta a 27 de Novembro de 2006 às 14:18
Numa frase disseste tudo " Cada vez mais estamos sós ", sem dúvida alguma que é assim. A desconfiança e a insegurança apoderaram-se do ser humano. As capas que quase sempre se vestem para disfarçarmos o nosso verdadeiro ser, são muitas vezes tão usadas que nós próprios acabamos por perder a noção do certo e do errado. As mentirinhas vão-se acumulando até formarem uma autêntica visualização de nós próprios completamente oposta da realidade. Enfim... talvez isto seja culpa da sociedade em geral, já que nunca sabemos quem pode confiar em quem...
É pena, que tenhamos chegado a este ponto.
Beijito.
De Angela a 27 de Novembro de 2006 às 13:44
É verdade que somos cada vez mais individualistas. E, apesar do mundo se ter tornado uma aldeia global, o nosso mundo é cada vez mais pequenino. Parece que não temos tempo nem paciência para mais.
Quanto à confiança, depende das pessoas com quem nos cruzamos. Infelizmente, as pessoas têm cada vez mais dificuldade em ser verdadeiras. Se somos enganados, tendemos a nos tornar desconfiados e isto acaba por ser um ciclo vicioso.
Eu confio sempre no tempo porque é ele que acaba por fazer cair as máscaras, caso as haja.

Beijo grande.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds