Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

Bom Dia - Boa Noite

aurora_serena.jpg

A manhã está gélida no acordar do dia entre as sombras das primeiras claridades.
O frio não se faz de rogado em mostrar-me a sua valentia no rosto e no corpo que estremece.
Enrosco-me no kispão, fiel amigo destas demandas, e desafio o ar cortante de olhos brilhantes.
E ao contrário do esperado há exaltação em mim na corrente electrificante que me atravessa o corpo assoberbado em luta desigual que inebria todas as minhas fibras que, agora revigoradas pouco temem.

As gaivotas e pombas são as minhas companheiras matinais nestes dias para cumprir.
Outros seres destemidos, conhecidos ou não, pessoas preciosas encafuadas nas roupas mais tortas acenam com a cabeça em maquinais bons dias.

O céu torna-se mais claro mostrando braços coloridos da aura do sol que se espreguiça,
Bem haja… assim engana o torpor que assola os pés e mãos bêbedas nos dançares impostos,
E o alento anima-se vindo de uma fonte qualquer exuberante de manifestações sadias.

As ruas por enquanto estão vazias, é pé no pedal e deixar o carro andar,
(palavra que não sei de onde me vem este gosto de sentir o frio na cara)
Sabe-me bem e desperta-me os sentidos que refrescam a atenção do objectivo atingir.
Uma espécie de chave que abre portas que não sei ao certo o que vou encontrar do outro lado…
A estrada é longa e cheia de ratoeiras como os caminhos da vida – há que ter cuidado…

Aproveitar as vistas de campos cheios de sementes de vida prontas a florescer,
Deixar que os suaves cantos das aves sejam a minha música do enternecer,
Olhar as águas em livre correr que se passeiam em rios de espasmos de prazer,
Sentir as gotículas de lágrimas caídas da lua como elixir para alimentar o sonho da meta a engrandecer,
As montanhas além, sempre tão longe das mãos e perto do olhar, para meu agrado no seu jeito disforme «acavalitam-se» em desenhos surreais nas sombras do amanhecer,
E o sol já se faz notar, imponente, olho enorme que tudo banha e engole no seu deslumbre, e os meus olhos chispam risos de alegria e penso em ti criatura linda que ateias o fogo do meu Ser.

Nos nossos segredos de ontem que deixamos o tempo da memória gravar disse-te:

“Que ter-te nestes aconchegos de ternuras e carícias em momentos só nossos, continuo a deslumbrar-me tanto como no dia em que fulminaste o meu olhar.
Que quero seduzir-te uma vez mais com o calor das minhas mãos, pega nelas.
Deixa-as entrelaçar-te os ombros como o colar mais belo que sentiste.
São prendas de toques do momento porque o momento assim se dispõe.
Sei que sabes do turbilhão do meu peito agora à janela olhando a chuva que cai,
Chapinando desenhos de cores nos telhados e ardores em nós e no rio ao fundo também,
Empolgando o meu corpo, nicho do teu conforto… berço do nosso deleite!

Apetece-me sussurrar-te tantas coisas mas sem letras nem palavras, só respirando,
Deixar pura e simplesmente a voz do sangue latejante falar…
A linguagem das palavras agora não fazem sentido, nem demonstram o presente que tenho para ti dentro de mim.
São pulsações e respirações minhas suspensas no ar que pouso em ti.
Não há em mim promiscuidade mas sim céus imensos do gostar abertamente dos espaços em que passeamos e deito-me contigo.
Sorver o perfume da tua carne que me enleia em doce desfalecer de tontarias.
És a pérola sumptuosa que soube desencaminhar e roubar ao destino.

Diluímo-nos no chão em colchas quentes onde os bocados dos nossos corpos se espalham como os sons musicais que nos embalam… são ondas frenéticas e mansas afastando-se e unindo-se como os ecos das montanhas nos seus jogos de prazer.”

 

Carlos Reis

tags:
publicado por In Loko às 06:27
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds