Sexta-feira, 30 de Julho de 2004

Poesia

OPIÁRIO
(Ao senhor Mário de Sá-Carneiro)

É antes do ópio que minha alma é doente.
Sentir a vida convalesce e estiola
E eu vou buscar ao ópio que consola
Um Oriente ao oriente do Oriente.

Esta vida de bordo há-de matar-me.
São dias só de febre na cabeça
E, por mais que procure até que adoeça,
Já não encontro a mola pra adaptar-me.

E por mecanismo de desastres,
Uma engrenagem com volantes falsos,
Que passo entre visões de cadafalsos
Num jardim onde há flores no ar, sem hastes.

Ao toque adormecido da morfina
Perco-me em transparências latejantes
E numa noite cheia de brilhantes
Ergue-se a Lua como a minha Sina.

Eu, que fui sempre um mau estudante, agora
Não faço mais que ver o navio ir
Pelo canal de Suez a conduzir
A minha vida, cânfora na aurora.

Perdi os dias que já aproveitara.
Trabalhei para ter só o cansaço
Que é hoje em mim uma espécie de braço
Que ao meu pescoço me sufoca e ampara.

Por isso eu tomo ópio. É um remédio.
Sou um convalescente do Momento.
Moro no rés-do-chão do pensamento
E ver passar a vida faz-me tédio.

Fumo. Canso. Ah uma terra aonde, enfim,
Muito a leste não fosse o oeste já!
Pra que fui visitar a Índia que há
Se não há Índia senão a alma em mim?

Levo o dia a fumar, a beber coisas,
Drogas americanas que entontecem,
E eu já tão bêbado sem nada! Dessem
Mehor cérebro aos meus nervos como rosas.

Escrevo estas linhas. Parece impossível!
Que mesmo ao ter talento eu mal o sinta!
O facto é que esta vida é uma quinta
Onde se aborrece uma alma sensível.

Álvaro de Campos
publicado por In Loko às 05:45
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Romasi a 3 de Agosto de 2004 às 00:22
Gostei mas que tal mostrares os teus poemas.
ROMASI
De amita a 2 de Agosto de 2004 às 23:17
Linda música, amigo Bjinhos
De amita a 2 de Agosto de 2004 às 23:14
Mais um magnífico poema de um autor belíssimo. Bjinhos amigo
De Andréa Motta a 2 de Agosto de 2004 às 13:03
Comentar Alvaro Campos.. acho impossível.. mas, o teu bom gosto é incrível.. A cada novo poema publicado, deixa mais evidente tua sensibilidade. Boa semana, beijos.
De Maria Branco a 30 de Julho de 2004 às 11:06
Este poema revela em perfeição duas almas que se viveram atormentadas. Magnifico! Beijinhos, tem um dia muito feliz!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

.posts recentes

. Ir Assim

. Acenos

. Intemporalidades

. HORAS

. Toques

. Eu, Tu e a escrita

. Desfrutar Diálogo

. Bom Dia - Boa Noite

. Emancipação do Olhar

. Contentamento

.arquivos

. Maio 2013

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds